AS BALEIAS-JUBARTE “FALAM”

O som que vem das águas.

A água é um meio que não favorece a visão. No entanto, é excelente para propagar ondas sonoras que nela viajam a uma velocidade cinco vezes superior à sua velocidade no ar. Por ficarem dispersas por áreas muito extensas, esse fator favorece a troca de informações entre baleias de uma mesma espécie.

As baleias-jubarte não possuem cordas vocais. A produção do som ocorre mecanicamente, por meio da passagem do ar pelos canais respiratórios, em especial a laringe. No caso das jubartes, a união de vários sons costuma compor um tipo de “canto”, emitido pelos machos durante o período de acasalamento.

A vocalização das jubartes é diferente da de outras espécies de baleias e golfinhos, conhecidas como cetáceos com dentes (ou odontocetos). Essas espécies também utilizam um processo semelhante de comunicação, porém através de câmaras especiais que possuem no topo da cabeça para emitir estalidos e assobios muito utilizados como um sonar biológico.

O Canto da Jubarte

A bioacústica é uma técnica de estudo que capta os sons das baleias-jubarte com o uso de um hidrofone (microfone à prova d´água). Esses sons são considerados como uma forma de “canto” porque variam entre diferentes populações de jubartes e são constituídos por freqüências sonoras com modulações distintas. Por isso, um conjunto de unidades sonoras, emitidas em uma sequência fixa, constitui uma “frase sonora “. Esta é repetida por várias vezes e posteriormente é substituída por outra “frase”, a qual será substituída por outras mais. O fim da canção ocorre quando a primeira “frase” volta a ser emitida. A partir daí, a canção irá recomeçar.

A canção dos machos de jubarte varia de ano para ano, mas os pesquisadores ainda não sabem porque essas mudanças ocorrem. Acredita-se que os filhotes aprendem a cantar e que esse “talento” não é apenas instintivo, eles desenvolvem essa habilidade com outros machos adultos.

Você sabia?

Apenas os machos da jubarte “cantam”, propriamente. As fêmeas vocalizam sons bem mais simples. Acredita-se que a função do canto nas jubartes seja o de atrair as fêmeas para a cópula. O interessante é que estudos têm demonstrado que a renovação da “canção” do acasalamento se dá a cada novo ciclo reprodutivo, isto é, a cada novo inverno, quando as populações de jubartes que utilizam a costa brasileira, voltam para nossas águas para se reproduzir.

 

Ouça

gram-300x120